domingo, 20 de fevereiro de 2011

De fins ou recomeços.

(imagem de autoria desconhecida)

Hoje, com meu dia com 25 horas (meu relógio biológico despertou na hora marcada) estou aproveitando essa canja do fim do horário de verão para escrever.
Ano começando tumultuado. De todas as mudanças, aposto ser esta a de maior proporção e implicações. Vivo o luto de uma separação alternado às tentativas - as vezes frustradas de me equilibrar nesta corda bamba. Meu coração está pequeno, as vezes tenho dificuldade em respirar. O café de domingo que há 13 anos, me esperava na mesa bem posta, hoje só esteve lá porque fiz uma força colossal, pra que tudo parecesse normal. Uma trama menos convencional implica em uma boa dose de paciência e parcimônia, e mais do que nunca estou a cuidar de nós.
Entendo melhor agora a poesia de Caiero e estou a fazer de suas palavras meu hino...

O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda...

Providencial ou não, inauguro uma nova experiência profissional: assumo quatro turmas de formação de professores a nível de magistério. Nem preciso dizer o quanto isso tem me ajudado. Os alunos são uns fofos e a experiência de trabalhar com adultos que estão encaminhando sua vida profissional é grandiosa.
Enfim, a vida segue e na grande maioria dos dias o sol acessa pela minha janela me lembrando que faz novo dia e que um novo dia pode ser uma nova chance pra felicidade.

Descrição da imagem: Um barquinho encalhado nas pedras

7 comentários:

Uma PROFESSORA apaixonada.... disse...

E agora a vida continua por mais que as dores possam se despertar.
Continue caminhando em paz, forme essas turmas para que eles sejam excelentes profissionais.
Toda separação é dolorida, mas precisamos infelizmente aprender a conviver com elas....
Beijos,
um lindo domingo,
Lu

Prof.: JOSÉ CARLOS disse...

Vim conhecer seu espaço e gostei muito! Muito seleto e diversificado. Parabéns. A educação é a base do ser humano para sua vida em sociedade e para uma vida feliz. Também sou educador e vejo que nossa base holística é o caminho mais ameno a seguir.
Obs: Também virei seu seguidor.
Prof. José Carlos
http://projetosead.blogspot.com/

José Antonio Klaes Roig disse...

Cara Elis, a vida é um eterno recomeçar, a cada dia que abrimos os olhos e seguimos adiante sabemos dos novos desafios a nos esperar.
Todo fim é um recomeço!
Desejo muita paz, felicidade e sucesso nessa nova jornada. E continues sendo esse exemplo de força, dedicação e coragem, que teus amigos e colegas sabem admirar.
Que esses novos projetos sejam também um recomeçar, um voltar para a saula de aula, onde sabemos que poderás muito nos ensinar...
Sucesso sempre, minha amiga.
Um abraço, Zé.

Kaka disse...

Oi Elis...boa sorte nesta nova tarefa!
Sabedoria e muita força para seguir sempre em frente.
Um grande beijo.

Cesar Brasileiro disse...

Professora, felizmente nós sabemos que não existe um fim e sim vários começos, todos os dias, desejo a você muita felicidade nessa nova empreitada e virei seu seguidor. abraços
professor Cesar Brasileiro
http://cesarbrasileiro.blogspot.com/

Bananal, my history, my city, my life. disse...

adorei o que vi por aqui!

Cultura na Rede disse...

Cara "Elis"
Sempre que as ondas do mar perdem suas forças, elas retornam para um novo avanço e sempre com novos rumos e dasfios! Estaremos aquí sempre te admirando e torcendo para que as energias desse novo olhar possam brotar novos frutos.
No coração!
Amigo Luiz