quarta-feira, 21 de março de 2012

O Líder da Classe

Brad Cohen é o personagem central do filme "O Líder da Classe". O verdadeiro Brad convive com sua companheira - como refere-se no filme - a Síndrome de Tourette, desde os seis anos de idade. Vive hoje em Atlanta, é casado com Nancy, mantém uma associação para pessoas com a síndrome e faz o que lutou uma vida inteira para concretizar: Ser professor.

Leve, engraçado e uma grande lição de vida e persistência. Assim é o filme. Brad nunca foi vítima da sua deficiência. Do contrário. Usou a síndrome para criar, desde muito cedo uma filosofia de vida, dedicando a maior parte do seu tempo perseguindo um ideal.

Vygotsky em seus escritos sobre Defectologia e Compensação teoriza que existem dois tipo de deficiência. Uma, a deficiência primária, de causa orgânica; outra, secundária, sendo esta, medida socialmente e remetendo ao fato de o universo cultural estar construido em função de um padrao de normalidade.

A teoria focaliza a distinção entre estas concepções, enfatizando a deficiência orgânica enquanto diferença, como um signo da humanidade; enquanto a secundária, como grande limitadora do indivíduo. Para ele, em grande parte das vezes, " As consequências sociais do defeito acentuam, alimentam e consolidam o próprio defeito"

O defeito tratado na teoria de Vygotsky, é assim compreendido como uma invenção social. O desenvolvimento da criança com deficiência não está condicionado apenas ao fator orgânico, mas, fundamentalmente à forma como a deficiência é significada pelo grupo social do qual faz parte. Assim, o déficit orgânico da deficiência torna-se subordinado às ações culturais. Como resultado e em decorrência dessse olhares, consolidam-se ações que poderão, ou serem adequadas, ou empobrecer o processo de desenvolvimento destes sujeitos. 

 O filme ilustra de forma muito pontual essa fala. Não é a deficiência que limita Brad, é a forma como é significada pelas pessoas. A deficiência cria nele um desejo que funciona como elemento propulsor, uma espécie de compensação. No entanto, seu desejo esbarra em um contexto social que não vê possibilidades, que inviabiliza, que não cria caminhos alternativos. Sua deficiência é limitante, não porque o seja nas suas condições orgânicas, mas sociais. Brad é visto como deficiente, portador de uma síndrome que de modo generalizante incapacita e limita o sujeito a atuar de forma ativa e eficiente no seu espaço. Para as pessoas Brad não tem personalidade, não tem nada que o diferencie de outras pessoas com deficiência. Brad não é outra coisa senão sua síndrome. A reação subjetiva aos limites inerentes à deficiência e o lugar que ocupa essa condição na totalidade de suas características são desconsideradas.

Se tivesse que sintetizar a trama em uma frase escolheria a de Rubem Alves: O que muda não é a diferença. São os olhos.

A realidade não é algo fixo, estático e imutável. A realidade é dinâmica. E pode ser só uma ilusão.



9 comentários:

História Digital disse...

Uau, Elis, adorei esta relação entre o filme e as ideias de Vygotsky. Por sinal, estamos estudando este autor no mestrado. Pretendo utilizar esta fundamentação teórica no História Digital.

Elis Zampieri disse...

Que bom que gostou Michel, faça bom proveito. O filme é lindo também. Se tiver oportunidade, assista.
Bjão!

Escola Classe 14 disse...

Elis, gostei muito do seu texto. Pretendo passar o filme para os professores aqui da escola onde trabalho. Posso usar o seu texto para fomentar o debate?

Elis Zampieri disse...

Que bom que gostou. O filme é ótimo e o texto, é de utilidade pública:-) Bom proveito!

Cláudia Rodrigues disse...

Elis, amei o seu texto.Quero que saiba que fiz um link de seu blog ao meu http//sementedeideias-callrodrigues.blogspot.com.

José Antonio Klaes Roig disse...

Oi, Elis, olha aqui o link pro filme O Líder da Classe, que me indicou a colega Lisandra Beutler, que adorou o teu comentário e vai usar com profes da red epubl,. de Sta Rosa-RS.

http://www.baixarfilmescompletos.biz/2010/07/entre-os-muros-da-escola-dvdrip-rmvb.html

O André Lima, do blog Ser diferente é normal, me mandou também o link. esse blog tem muitos filmes pra baixar >>>

http://blog-serdiferenteenormal.blogspot.com.br/

Socializando aos teus seguidores e alunos. Abrs, amiga e sucesso ai.

Anônimo disse...

Aqui está o filme com legenda em português http://www.youtube.com/watch?v=46RU7L7kThw&feature=player_embedded

Dulcille lima disse...

Adorei esta publicaçao, agora vou assistir o filme, tudo relacionado a Vygotsky me interessa , e muito.

Anônimo disse...

Bom dia, passei para ler seu texto e gostei das relações com as idéias de Levi Vigotsky. Estou recomendando a leitura para minhas amigas de psicopedagogia e professores da escola que trabalho. Parabéns pela sensibilidade com o filme e com a educação;)