terça-feira, 3 de junho de 2008

Avô cria navegador de internet para neto autista

(Do G1 Tecnologia)
John LeSieur trabalha com software e achou curioso o fato de os computadores parecerem inúteis para seu neto de seis anos, Zackary. O garoto tem autismo e tudo o que era apresentado pelo PC o confundia a ponto de ele jogar o mouse, como sinal de frustração.
LeSieur tentou encontrar ferramentas na internet que pudessem guiar seu neto pela web, mas não conseguiu encontrar nada satisfatório. Foi então que ele decidiu criar um navegador, chamado Zac Browser For Autistic Children, em homenagem a Zackary. A ferramenta está disponível gratuitamente aqui.
O navegador simplifica a experiência de usar um computador. Ele bloqueia conteúdo violento, pornográfico ou inadequado para crianças, enquanto dá ênfase a games educacionais, vídeos, música e imagens de entretenimento (como um aquário), disponíveis em páginas de conteúdo gratuito. A idéia é reduzir o controle de crianças como Zackary, que se confundem quando encontram muitas escolhas.
O browser também desabilita itens “desnecessários” do teclado, como "Print Screen", e inutiliza o botão direito do mouse. Isso elimina comandos que as crianças geralmente não precisam e também reduz as chances de criar insegurança entre os autistas.
Os usuários do Zac Browser selecionam atividades usando ícones maiores que os tradicionais. O programa também é configurado para que não exiba anúncios ou outras imagens que possam distrair o usuário. “Tentamos evitar sites complicados ou agressivos, porque o importante na navegação é a auto-estima. Se a situação não estiver sob controle, esses internautas ficam facilmente frustrados”, diz LeSieur.
Geralmente o autismo afeta a habilidade de comunicação das pessoas e Zackary não fala muito. Mas sua mãe, Emmanuelle Villeneuve, disse que o filho navega sozinho usando o browser especial. Ele ouve música e monta quebra-cabeças - atividades que ele já gostava no universo off-line, mas que não conseguia realizar on-line. Além disso, enquanto o garoto tem reações negativas contra a TV, ele não se manifesta da mesma maneira em relação ao computador.

4 comentários:

Teresinha Bernardete Motter disse...

Elis, em primeiro lugar obrigada pela visita e pelo comentário.Eu conheci teu blog há pouco tempo, foi quando fiz o cadastro no Blogblogs e vi que tu havias feito um link para o meu. Fui logo visitar e, adorei. Adoro editar no modelo e , quero que tu saibas, aprendi contigo a editar a widgts das últimas postagens. É isso, aprendemos virtualmente, sem mesmo "conversar" assim em uma visita. Obrigada.
um grande abraço
Berna

Profe Elis disse...

Obrigado Bernardete! É esse caráter colaborativo que torna a rede um espaço privilegiado de aprendizagem, aprendemos uns com os outros. Abraços para você também.

Verônica Carvalho disse...

Oi Elis!!
Achei mto interessante tua postagem ... na minha escola, este ano, temos 3 alunos autistas e estamos encontrando um pouco de dificuldade no trabalho com eles pq para nós é uma novidade. Vou levar esta sugestão para o grupo do LabInfo, espero que funcione e traga bons resultados .... voltarei para dar noticias!!! hehehe
Um abraço e um otimo domingo!
Verônica
Sta Maria - RS
http://ideiasemblog.blogspot.com

Cristina disse...

É sempre bom saber das novidades!
O artigo nos mostra que com criatividade, tudo é possível!
Parabéns