domingo, 18 de abril de 2010

Porque hoje é dia do Livro Infantil

Essa é das antigas, e uma das que Gianluca, meu filho, mais gosta. Daquelas que a gente conta e reconta tantas vezes quanto o gosto deles pela história mandar. Os créditos das imagens são do Claudemir Spitzer, amigo fotógrafo, PhD em fhotoshop que me presenteou, unindo seu talento aos meus rabiscos literários.

Uma Casa para o Ratinho

Elisangela Zampieri


Ratinho Tinho procurou um lugar para fazer o seu ninho.

Procurou, procurou e uma casa encontrou. Era uma casa grande e bonita com um jardim enorme na frente. Só que era casa de gente. Mas casa de gente também pode ser casa de rato!


o ratinho no jardim da casa com um saco de roupa nas costas

E o ratinho andou, subiu e desceu escadas, a porta estava fechada....

Mas no canto, bem no cantinho, uma pequena passagem, um buraco bem do seu tamainho...

Aliás rato sempre acaba encontrando um buraco exatamente do seu tamanho.

Perceberam?


ratinho debaixo da escada olhando para o buraco na parede


E ratinho entrou... Mas ai que dó! Uma casa bonita, mas muito grande para um rato viver só!

Mas no canto, bem no cantinho havia um quarto. Um quarto bem arrumado,com cama, armário, balcão, guarda-roupa, tudo muito organizado.


ratinho passeando pelo quarto

Mas o quarto ainda era grande...

Foi então que ratinho viu o armário:

_Um armário pode ser uma boa casa para um rato solitário.

Só que o armário estava trancado. Mas no chão, estava a chave caída.


ratinho olhando para a chave caída no chão

E ratinho encontrou a saída. Juntou a chave, que era quase do seu tamanho, e com grande esforço o armário ele abriu...


ratinho com a chave tentando abrir o armário

Mas o armário era enorme, amplo e espaçoso demais...


No fundo, bem no fundo, escondida estava uma mala!

_Uma mala pode ser a saída para arranjar minha vida!


ratinho com as mãos sobre a mala

Mas que pena! Uma casa muito bela, mas ainda muito grande para um rato morar nela.

Mas dentro da mala havia uma caixa. E uma caixa de sapato, quem diria, mas é fato, pode ser a casa perfeita se o morador for um rato.


ratinho olhando para a caixa de sapato

Mas eis qual foi a surpresa, quando ratinho descobriu, que dentro da caixa havia um sapato...

Pois lhe conto e não omito, havia um sapato bonito, que seria a casa ideal para a história ter um final.

E ratinho foi entrando e o lugar organizando...

Limpa, arruma, lava o chão com muita água e sabão... Pois ao contrário do que pensam nem todo ratogosta de sujeira.

E foi assim, desta maneira, que Tinho, o rato limpinho, arrumou o seu cantinho.


ratinho com uma coberta, dormindo dentro do sapato


E a história poderia terminar assim...

“E o ratinho foi feliz para sempre”...

Mas como essa história é um pouco diferente, ela termina assim...

Só que o que ninguém esperava, de fato aconteceu, eis que a dona do sapato, a própria, apareceu. De nada adiantou choro, reclamação ou pechincha.


Ratinho dentro de um sapato preto contando cédulas de dinheiro

Vejam só que desatino, o rato virou inquilino. Vixi, meu Deus do céu! Onde é que já se viu, um rato pagando aluguel?!?

6 comentários:

Claudemir disse...

PHD em photoshop foi ótimo. Obrigado pela carinho.
Adoro essa história do ratinho, estava com saudades dela.

Grande abraço e sucesso sempre!

Elis Zampieri disse...

E não é?!?
Seu toque tornou ela especialmente especial.

Abraço, amigo.

Else disse...

Nooossinhora, que delícia de ratinho!!! Meu filhote de 8 anos ficou aqui comigo, dividindo a leitura e rimos muuuito!!!!!
Obrigada pelo presente, foi a nossa história de dormir hoje!

Elis Zampieri disse...

Olá Else, presente é um comentário tão gentil quanto o seu. É muito bom saber que o trabalho simples que a gente faz é reconhecido. Esse é o verdadeiro prêmio do escritor. Fico imensamente feliz que tenham curtido a história. Um bjo pra vc o pro seu pequeno.

Madalena de Jesus disse...

Incrivelmente bela. Amei tua estória e já vou conta-la aos meus pupilos viu? Parabéns! Leveza, bem escrita. Clara e concisa. Parabéns querida. Madalena de Jesus

Madalena de Jesus disse...

Incrivelmente bela. Amei tua estória e já vou conta-la aos meus pupilos viu? Parabéns! Leveza, bem escrita. Clara e concisa. Parabéns querida. Madalena de Jesus