sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Mapas Mentais como Estratégia de Aprendizagem

Tentando entender melhor como alunos com deficiências aprendem ou por que não aprendem me deparei com o livro Aprender com Mapas Mentais - Uma estratégia para pensar e estudar.

“Na escola, passei milhares de horas aprendendo matemática. Milhares de horas aprendendo linguagem e literatura. Milhares de horas em ciências, geografia e história. Então me perguntei: quantas horas passei aprendendo como minha memória funciona? Quantas horas passei aprendendo como meus olhos funcionam? Quantas horas aprendendo como aprender? Quantas horas aprendendo como meu cérebro funciona? Quantas horas aprendendo sobre a natureza do meu pensamento e como ele afeta o meu corpo? E a reposta foi: nenhuma, nenhuma, nenhuma...” (Tony Buzan)

Foram esses questionamentos que levaram o referido autor, psicólogo inglês a criar em meados de 1970 os Mapas Mentais (Mind Maps) para facilitar a aprendizagem e memorização por meio do encadeamento não-linear de informações.

A técnica é simples e mesmo alunos com deficiências podem desenvolver esse tipo de trabalho e principalmente, tirar proveito dele.
Os estudos acerca de como alunos com deficiência mental aprendem são bastantes recentes e uma pesquisa pioneira nessa área foi realizada pela Fundação Catarinense deEducação Especial do estado de Santa Catarina na qual estabelece o trabalho a partir da elaboração de conceitos. A pesquisa em questão busca anunciar novas possibilidades para o processo de ensino-aprendizagem de pessoas com tais características, a partir da seleção e organização do conhecimento, visando incluí-los no processo educacional a partir da promoção de habilidades e da qualificação das funções psicológicas superiores.

O trabalho com mapas mentais potencializa essas funções por serem modelos que permitem a diagramação do pensamento, no formato não linear, assumindo o tipo de estrutura que a memória tem. De fato, o aprendizado humano obedece a essa sistemática. Aprendemos e memorizamos fazendo relações entre aprendizados anteriores, em uma complexa rede neural. Os mapas, portanto, são instrumentos que permitem simular, de certa forma, o que o nosso cérebro faz ao aprender e guardar informações, permitindo sistematizar o pensamento, auxiliar o aprendizado e a assimilação de novos conceitos.

Um programa interessante para criação de mapas mentais é o FreeMind, disponível para download.

Links relacionados:

2 comentários:

Galdir Reges disse...

Prof Elis :) . Gostei do se post e me inspirei mais para escrever o meu sobre Mapas Mentais. Tem um site bem legal para fazer mapas mentais! Abraços

http://cartadepassagem.blogspot.com/2008/03/aprendendo-com-mapas-mentais.html

mapas disse...

Os mapas mentais são viciantes. Me lembra sempre aquela frase: "entendeu ou que desenhe?" :)

-------
www.mapasequestoes.blogspot.com